Full Screen Print Page Latest Enhancements Web Administration Help and Guide
Versão 2.18x


Declaração de um bridigista apaixonado

Bridge é um jogo tão sensacional que eu não me importaria de ser preso se eu tivesse três companheiros de cela, que fossem bons jogadores e que estivessem dispostos a manter o jogo durante 24 horas por dia.

Warren Buffett       

Desde o começo 2017

VÍDEOS
Veja o vídeo legendado onde Bill Gates encoraja os jovens a jogarem Bridge
Campeonato Mundial Juvenil 2012 --- Jogos Olímpicos de Pequim 2008
Bridge Básico - A Mesa - A Vaza
Bridge Básico - distribuição das cartas e resultados

Apresentamos aqui uma breve história do Bridge que consta do Site do Ministério dos Esportes do Brasil:

_

O Bridge é derivado do “whist”, um jogo do século XVII praticado na Inglaterra pela nobreza da época. No final do século XIX, na Turquia, o “whist” foi alterado para uma variante mais próxima do Bridge atual. Finalmente, em 1925, criaram-se as normas deste esporte como ele é praticado nos nossos dias. O primeiro Campeonato Mundial da modalidade ocorreu em 1950 nas Bermudas. Em 1958, logo após a fundação da Federação Mundial de Bridge (World Bridge Federation - WBF) a Argentina tornou-se a primeira representante da América Latina no Campeonato Mundial. Depois disso, a Federação Mundial resolveu que a participação de um país num certame desta grandeza deveria ser precedida de um torneio continental. No caso do Brasil, o torneio classificatório é o Sul-Americano. Aliás, depois que foi assentada esta regra, o Brasil desde 1949 venceu 34 (trinta e quatro) campeonatos Sul-Americanos. É, longe dos demais, o país mais vitorioso da América Latina. Mas as conquistas do Brasil não se resumiram aos campeonatos Sul- Americanos. Embora o número de filiados à Federação Brasileira –não seja tão expressivo (os Estados Unidos tem cerca de vinte milhões), o Brasil venceu as Olimpíadas de Equipes no ano de 1976, também o Mundial de Duplas no ano de 1978, o Mundial de Equipes de 1989, o Mundial de Duplas de 1990 e o Mundial Aberto Transnacional de 2001. Na verdade, além dos Estados Unidos e da Itália, somente o Brasil, Inglaterra, Polônia, França, Holanda, Islândia e Noruega obtiveram vitórias nos campeonatos mundiais nos últimos sessenta anos.

 O BRIDGE E AS OLÍMPÍADAS

Em Junho de 1995, o Comitê Olímpico Internacional admitiu a Federação Mundial de Bridge (WBF) como membro integrante do Movimento Olímpico mediante o seu reconhecimento como uma Organização Esportiva. Alguns anos depois, em Setembro de 1998, o Comitê Olímpico Internacional realizou o I Grande Prêmio desta entidade para o Bridge, em Lausanne. Na ocasião, Juan Antonio Samaranch, Presidente do Comité Olímpico Internacional assinou a resolução de reconhecimento do Bridge como esporte. Nesta significativa data, o Brasil comemorou a nova condição esportiva do Bridge tornando-se campeão do emblemático evento. Finalmente, em Junho de 1999, a WBF(World Bridge Federation) é reconhecida pelo COI como Federação Internacional. Este reconhecimento resultou em alterações fundamentais nos Estatutos da modalidade para adaptá-los aos princípios da Carta Olímpica e à implementação de regulamentos anti-doping. O Bridge, a partir daí, tornou-se parte do Congresso Olímpico e o logotipo da WBF (World Bridge Federation) e respectiva bandeira foram incluídos nas apresentações e publicações do COI. Em Abril de 2005 a WBF uniu-se a mais três federações internacionais, FIDE (xadrez), FMJD (Damas) e IGF (Go) para fundar a IMSA – (Federação Internacional dos Esportes da Mente). O mais relevante dos seus propósitos consistia na organização pelo COI das “Olimpíadas da Mente”, nos dias imediatamente subseqüentes àqueles destinados para a realização das Olimpíadas. Assim, como antes foi aqui mencionado, em outubro de 2008, Pequim teve a honra de sediar a primeira edição das “Olimpíadas da Mente”. Embora possa parecer repetitivo, não custa relembrar que as próximas Olimpíadas da Mente realizar-se-ão  no Brasil, em 2016, circunstância que irá compelir o país a enormes e vultosos recursos para a celebração do evento. A IMSA (Federação Internacional dos Esportes da Mente) também tem a intenção de conquistar o reconhecimento de ensino destas modalidades desportivas para jovens de todo o mundo com vistas ao seu aperfeiçoamento intelectual. Aliás, na Holanda, na França e na Itália, o Bridge já faz parte das disciplinas rotineiras das escolas publicas. Além disso, a IMSA, em parceria com o Comitê Olímpico Internacional, atuará junto à UNESCO e à ONU no intuito de gerar um movimento em massa para a paz mundial através do esporte.

Este Site foi construido com BridgeWebs, A solucao fácil na Web.